10 de abr de 2011

12 mortos e 190 milhões de feridos.


O massacre de Realengo foi  a apenas três dias e o sentimento que impera e que continuará em nossas mentes e corações durante muitos e muitos anos  é de profunda e inestimável lamentação.
12 foram os mortos, 12 brasileiros no início de suas vidas, adolescentes, promessas  para o crescimento do nosso país, filhinhos e filhinhas, sobrinhos, irmãos, filhos de Deus, seres humanos, nossos irmãos. Com dois tiros em cada uma delas  o atirador matou as doze crianças e feriu milhões e milhões de brasileiros. Brasileiros que continuam vivos chorando suas feridas,  numa metade do tempo dando graças a Deus por estarem vivos na outra metade querendo terem morrido também.
É o choro de uma nação que faz o tamanho de uma tragédia, é o lamentar de seus iguais que calcula a dimensão da perda, a profundidade do vazio e a multiplicação da dor.
190 MILHÕES DE BRASILEIROS DE LUTO FAZ DESSA A MAIOR TRAGÉDIA DA NOSSA NAÇÃO!
Nossa espécie esta sendo exterminada!
Eu me sento na frente da minha TV e eu choro pelos meus iguais, seres humanos como eu que foram abatidos como animais,  foram mortos por nada,  pra dar vazão a loucura de alguém, nem os animais merecem uma morte assim e isso é um absurdo incalculável.
Como  nos defender de ataques como esse?
Quando nos deparamos com crimes gerados por desfavorecimento social como a fome, a má distribuição de renda, revoltas por abusos, humilhações múltiplas ou até mesmo por conta de dependência química como é o caso das drogas e do álcool. Não temos aí tragédias menos trágicas, mas conseguimos dar um motivo pro que aconteceu e podemos até tentar evitar numa próxima ocasião, reavaliando hábitos perigosos, adotando outros de maior cautela.  Entender de alguma forma o que resultou no ataque de certa forma nos consola.
No massacre do Colégio em Realengo foi aberto um precedente assustador, um ser humano doente invade a escola, mata doze adolescentes, fere vários outros e a gente não vai poder fazer nada pra evitar uma próxima vez. Constatar isso é terrível, continuar nossas vidas sabendo que outros doentes poderão se inspirar nesse ataque, arquitetar outros piores, tentar aumentar a marca de mortos, diminuir a idade das vítimas, conquistar uma maior ‘fama’. É PAVOROSO!
Reabrir a discussão sobre a venda de armas só vai tirar o foco da  discussão mais importante que é a insegurança nas escolas, no quanto entrar nelas é fácil e principalmente na incompetência dos estados pra tornar essas escolas mais seguras. Nós estamos no país do jeitinho simpático. Chega-se com um sorriso, leva-se as calças de quem a gente quiser.
Partindo desse princípio QUALQUER UM ENTRA EM ESCOLA PÚBLICA, RESTA-NOS O DESESPERO.
Importante citar que algumas escolas particulares tomam medidas bem competentes PRA CONTROLAR A ENTRADA DE ESTRANHOS e deveriam ser imitadas.

É preciso proibir a venda de armas sim. Mas sabemos infelizmente que um criminoso, um louco,  não compra armas numa loja especializada, ele vai ao mercado negro e esse não há governo que controle. 
Impedir a entrada FÁCIL em hospitais, creches, escolas, faculdades, cursos e em qualquer local onde se tenha ‘alvo fácil’ é a medida mais urgente e a mais fácil de por em prática também.
190 milhões de brasileiros choram juntos, se abraçam e oram a Deus por uma melhor sorte para todos nós.
Que Deus console o coração das famílias que ficaram sem seus queridos, que harmonize o coração daqueles que sobreviveram e que faça sarar os 190 milhões de brasileiros que choram a dor da tragédia e a insegurança de ver um outro massacre igual ou pior acontecer a qualquer momento.
E disso só Deus mesmo pra nos guardar.

3 comentários:

  1. Você resumiu bem o sentimento dos 190 milhões de brasileiros. Como lhe disse, foi muito difícil dormir na quinta sabendo que 12 famílias dormiram(ou tentaram dormir) sem seus filhos.

    ResponderExcluir
  2. Renan e Tata Alves, 12 familias que a midia tem conhecimento e o tanto de mães que esperam noticias dos seus filhos todos os dias, pq desapareceram, morreram, ou foram assassinados, como no caso.
    Eu nao fico chocada apenas por essas crianças, eu fico chocada pela situaçao que se encontra o mundo.

    ResponderExcluir
  3. Natalia muito obrigada pela sua participação e opinião! Eu entendi e respeito muito sua opinião. Mas os fatos que vc citou são coisas diferentes do que aconteceu na escola de Realengo, essas mães que vc cita sofrem pq seus filhos foram vitimas d problemas sociais que nosso país não consegue resolver. O tráfico q alicia os filhos pobres da nossa terra, policiais corruptos que deveriam nos proteger e ao contrário assaltam e matam, assaltos, sequestros e etc... Essas 12 vidas q foram ceifadas la em Realengo se foram pelas mãos de um louco, pelas mãos de um franco atirador enquanto estudavam. Eles não foram vitimas de um assaltante, foram vitimas de um louco. Entendeu a diferença? Toda dor pela perda de um filho é imensa, mas perder um filho pra um doente que foi lá e atirou simplesmente porque deu vontade! Um fato desses não pode ser desprezado nem minimizado de jeito nenhum.

    ResponderExcluir